Apesar de pouco estudado nas escolas, o latim está na moda e continua a ser muito usado na comunicação social.

Lendo o Notícias de Chaves de 24/02/2012, encontrei um artigo de opinião encimado por este título latino "currente calamo". A expressão latina (um ablativo absoluto, construção sintáctica muito característica da língua latina) pode traduzir-se por "ao correr da pena", quer dizer, trata-se de um texto escrito sem grandes reflexões ou correcções, texto que vai saindo à medida que as ideias surgem. 


Calamo é o ablativo do substantivo calamus, i (derivado do grego kálamos) que significa cana e, por extensão, um objecto feito de cana. Daí designar uma pena ou caneta, feita de cana, com a qual se escrevia.

 

Segundo o dicionário de Gaffiot (Dictionnaire Latin-Français), a palavra calamitas, calamitatis relaciona-se com calamus. Designaria, em princípio a cana que crescia nos campos e prejudicava as searas, daí a conotação de ser algo prejudicial, um desastre, uma calamidade. Aparecia em latim calamitati esse alicui como "ser um flagelo para alguém".

 

Temos, portanto, calamidade, calamitoso — palavras da mesma raiz de calamus "cana".

 

Aliás, o artigo citado, inclui muitas referências clássicas, reflectindo sobre a relação do presente com o passado, na presença da cultura greco-latina nas expressões da modernidade.

publicado por isa às 16:51