É impressionante a quantidade de obras de ficção cujo tema se situa na Antiguidade Romana ou Grega. Está na moda este interesse pelo romance histórico e, no que toca à época romana, o número de títulos é considerável. 

 

Ultimamente, também os autores portugueses mais jovens têm sido influenciados por esta "onda", quer com uma trama situada na antiguidade, quer com referências culturais e literárias inseridas na obra.

 

Destaco hoje, apenas como exemplo, dois livros que li recentemente:

 

De Paulo Bogalho, A cabeça de Séneca. — O título remete para o filósofo e mestre de Nero, e é tema de uma tese da principal personagem feminina da obra. São muitas as discussões das personagens sobre esta época do império romano e muitas as referências à cultura romana e à literatura, com destaque para o poeta Horácio, cujos poemas são constantemente citados. Pena é que o autor se inspire apenas na tradução inglesa (que transcreve mesmo, sem tradução) quando devia procurar boas traduções em português, que também existem.

De louvar este gosto pelos clássicos da parte de um jovem autor cuja formação académica é da área da Medicina!

 

De Lívia Borges, Julia Felix - frescos de Pompeia. Um romance histórico com um enredo bem estruturado, que se lê com agrado e entusiasmo.

Quanto a conhecimentos da língua latina, eles falham várias vezes, com frases e expressões incorrectas. É pena!

 

publicado por isa às 15:45