Exame e enxame a mesma origem etimológica

 

À primeira vista estas duas palavras, com significados bem distintos, parece que nada têm a ver uma com a outra. No entanto, têm uma origem comum.

 

Exame e enxame provêm do mesmo étimo latino: examen.

O vocábulo examen significava, em latim, um conjunto de animais ou pessoas, aparecendo a designar um grupo de homens, ou um conjunto de peixes, ou de abelhas, daí, enxame.

A palavra está relacionada com a raiz do verbo ago e o seu composto ex-ago > exigo.

 

Vejamos:

Verbo ago, agis, agere, egi, actum : pôr em movimento; fazer avançar; agir; fazer.

Desta raiz temos o nome agmen, agminis que significa, em termos latos, multidão; é o termo usado, na linguagem militar, para designar um exército em marcha.

Com o profixo ex-, o nome examen, examinis, tem o mesmo sentido de “multidão” e, portanto, examen apium = uma multidão de abelhas, um enxame.

Ainda com o mesmo prefixo ex-, o verbo exigo, exigis, exigere, significa “tirar para fora”, “expulsar” e também, por isso, examinar, medir, pesar.

Examen, substantivo, era ainda o nome que designava o fiel da balança.

Então examen significa também “exame” (do estudante) e não só, e toda a ideia de medir, pesar.

 

Assim se explicam as palavras divergentes, em português, exame e enxame, sendo esta última resultante de uma evolução fonética, motivada, certamente, pela pronúncia do x em determinada época e região, e que levou ao acrescento da consoante nasal –n.

 

Com esta mesma raiz se relacionam outras palavras portuguesas: agir, agente, agenda, exigir, reagir, redigir e também (da raiz do supino – actum) acto, acção, acta, actor, redacção, entre outras.

publicado por isa às 19:00