A cultura e as línguas clássicas

pesquisar

 
Segunda-feira, 16 / 01 / 17

Cessação da Secção ? Não

A PALAVRA E O SEU SIGNIFICADO — ETIMOLOGIAS

 

A língua portuguesa é rica em vocábulos que, à primeira vista, muito parecidos têm, no entanto, significados diferentes. Portanto há que estar atento!

 

Vejamos as semelhanças entre alguns vocábulos portugueses e as diferenças que vêm da sua origem:

 

cessação “acto de cessar”, “suspensão”, “interrupção”— do latim cessatio, cessationis “paragem”, “cessação”

da raiz do verbo: cessare “parar”, “cessar”

 

— cessão “acto de ceder”, “cedência” — do latim cessio, cessionis “acção de ceder”

   da raiz do verbo cedo, is, ere, cessi, cessum: “andar”, “ir-se embora”, “ceder”, “recuar”

 

secessão “separação daqueles a que se estava unido”

do latim secessio, secessionis “afastamento”, “secessão”, “revolta”

do verbo secedere [composto de se + cedo ] “caminhar à frente”, “afastar-se”, “separar-se”

 

sessão — do latim sessio, sessionis “acção de sentar”, “sessão”, “audiência”

da raiz do verbo sedere “estar sentado”, “estacionar”, “fixar-se”

e sedes, is “assento”, “morada”, “centro” , “sede”

 

Palavras portuguesas da mesma raiz:

  • sede — lugar onde alguém se pode sentar; edifício principal de uma empresa/instituição
  • sedentário (é o que está sempre sentado)

 

                                 [ sessação — sessar (Brasil): peneirar ]

 

seção “humidade na terra” – termo popular e regional (Trás-os-Montes)

 

secção do latim sectio, sectionis “corte” ; daí também “venda em lotes” (dos bens confiscados)

da raiz do verbo secare “cortar”, “separar”

 

Da mesma raiz:

  • sector
  • sectorial
  • sectário
  • seitoira (Trás-os-Montes) “foice para ceifar” [ do latim sectoriasector, sectoris “o que corta”, “cortador”]

 

Portanto, se alguma vez o convidarem para uma sessão sobre agricultura biológica, não faça cessão aos seus hábitos sedentários. Levante-se da sua cadeira e vá. Se, no final, ficou convencido e quer mudar de actividade, não se precipite, vá primeiro à sede da sua empresa, e proponha-lhes a criação de uma secção sobre esse tema. Se o chefe não ceder aos seus argumentos, arme uma secessão. Se está mesmo convencido das suas razões, não se importe que lhe chamem sectário. Em última instância, peça a cessação da sua actividade e parta para iniciar o seu sonho. Tem que aprender muitas coisas nesse sector. Comece pelo princípio, aprenda a ver se a terra tem seção e, quando for preciso, pegue na seitoira e meta mãos à obra.

Na escola ouviu falar da Guerra da secessão dos Estados Unidos, nas lutas entre o Norte e o Sul. Mas cuidado, esta sua secessão exige sucesso, que é outra coisa, e só se alcança com união.

 

 

 

 

 

publicado por isa às 19:26
Quarta-feira, 04 / 01 / 17

JANEIRO

JANEIRO

De acordo com a tradição, foi a reforma do calendário efectuada pelo segundo rei de Roma, Numa Pompílio, que acrescentou dois meses (Janeiro e Fevereiro) ao antigo calendário criado por Rómulo.

O calendário cuja criação se atribuía a Rómulo era um calendário agrário de 304 dias, com dez meses muito irregulares. O ano começava em Março e terminava em Dezembro, daí os nomes dos meses, seguindo a numeração: December (de decem -10), o 10º mês, como Nouember (de nouem-9), o 9º mês, October (de octo -8), o 8º mês, September (de septem- 7), o 7º mês.

 

O mês de Janeiro era dedicado a Jano, considerado o deus das portas, das entradas. Mas este mês não foi sempre o primeiro mês do ano.

O ano começava em Março, quando os cônsules eleitos tomavam posse.

 

Foi só no ano 153 a.C. que Ianuarius se tornou o primeiro mês do ano. Quinto Fúlvio Nobilior, cônsul eleito nesse ano, ocupa o cargo no dia 1º de Janeiro. A causa foi a guerra com os Celtiberos, na Hispânia. Por uma questão de urgência de tempo, foi necessário nomear o cônsul mais cedo pois a campanha seria curta se ele só entrasse em funções a 15 de Março.

Jano.jpg

Segundo uma tradição romana, Jano era um antigo rei de Itália que foi divinizado.

Terá vindo para Itália e fundado uma cidade numa colina, que, a partir do seu nome se chama Janículo. Teve um filho chamado Tiber, que dá nome ao rio Tibre. Reinou no Lácio e aí terá acolhido Saturno quando este deus foi expulso do Olimpo pelo seu filho Júpiter. Como recompensa, Saturno ter-lhe-á ensinado as artes de cultivar a terra e o seu reinado é associado à Idade do Ouro. São-lhe atribuídas muitas invenções, entre elas, a invenção do dinheiro. As primitivas moedas romanas trazem a efígie de Jano, representado com duas cabeças.

 

Por tudo isso, após a sua morte foi divinizado.

Tinha um templo no Forum com duas portas que estavam abertas quando Roma andava em guerra e só eram fechadas quando estava em paz. O historiador Tito Lívio diz que, desde o tempo de Numa até ao seu tempo, apenas estiveram fechadas duas vezes: depois da primeira guerra Púnica (241 a. C.) e depois da vitória de Octaviano em Ácio (31 a.C.).

 

Latim : janua “entrada”, “porta” — Januarius : o mês de Janeiro

publicado por isa às 18:47
Temas a tratar: o latim e o grego — seu estudo; a língua e a cultura; as origens da língua portuguesa; etimologias; a cultura clássica e a cultura portuguesa

mais sobre mim

Janeiro 2017

D
S
T
Q
Q
S
S
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

últ. recentes

  • Curioso :)
  • A influência grega veio mais tarde. O que os roman...
  • Não imaginava, pensei que Júpiter fosse superior ...
  • Jano era um deus itálico, não tem correspondente n...
  • "Post" muito interessante! Qual era o deus grego ...
  • Obrigado, seu texto me foi útil.
  • Li a ode à Glória do poeta na tradução de M.H.Roc...
  • A minha frase latina favorita é mesmo "labor omnia...
  • Concordo. O Latim não está morto. Basta olharmos p...

mais comentados

blogs SAPO


Universidade de Aveiro