Para provar a actualidade do Latim basta, por vezes, folhear a imprensa, ou até, mais actualizado ciberneticamente, percorrer algumas páginas da Internet.

 

Parece mais uma questão de moda. No momento em que o estudo da língua latina está tão afastado do nosso sistema de ensino,  a sociedade em geral e os meios de comunicação em particular, estão com uma enorme apetência para a língua latina, com citações, com os nomes dados às mais diversas criações artísticas e outras.

 

Ainda agora, numa simples passagem pelos blogs da sapo, dois nomes me chamaram a atenção: aurea mediocritas e o fio de Ariadne. É a língua latina e a cultura clássica a dar o mote para algumas páginas de escrita acerca de assuntos variados. 

 

O fio de Ariadne remete-nos para a mitologia grega, lembra-nos o labirinto de Creta, o mito do Minotauro e as façanhas de Teseu. É também uma história de amor e de traição, de valentia e de coragem, de luta pela justiça. Este fio permitiu a Teseu encontrar a saída do labirinto, depois de cumprida a missão de matar o monstro Minotauro. Ficará para depois a narrativa da história completa.

 

Aurea mediocritas, literalmente "mediania dourada", é um tema recorrente na literatura clássica que, por influência de Horácio, poeta latino do século I a.C., passou aos nossos renascentistas e influenciou poetas de outras épocas, como Ricardo Reis, o heterónimo pessoano. É um ideal de vida simples, nada desejando em excesso, gozando a felicidade do contacto com a mãe natureza e com aquilo que ela nos dá.

 

Do Diário de Coimbra de hoje ressaltam vários nomes. Uma página intitulada Momentum, fala-nos de Tales de Mileto, o filósofo e cientista grego. Mais adiante, o lançamento de uma revista de história com o título Ipsis Verbis e uma vitoriosa associação dedicada ao desporto chamada Domus Nostra.

 

momentum: movimento, impulso; peso (aquele que faz pender o prato da balança); momento (de tempo), instante

ipsis verbis: pelas próprias palavras (usa-se quando queremos transmitir aquilo que nos foi dito, ou que foi lido, com exactidão, usando exactamente as palavras que outro usou, sem alteração)

domus nostra: a nossa casa (confronte-se com terra nostra, mare nostrum... )

publicado por isa às 18:15